JOHN LENNON O COMETA DA PAZ...

JOHN LENNON O COMETA DA PAZ...
(Dedico esta coluna a meu irmão Fábio Magalhães,que é um fã dos Beatles incondicionalmente, especialmente de John Lennon e que gosta também de gatos...)

JOHN Wiston LENNON,se estivesse vivo,completaria no dia 9 de outubro,70 anos,todos sabem que foi assassinado em 8  de dezembro de 1980,por um louco,imprudente,instigado pela CIA,fonte de informação dos jornais da extinta União Soviética(U.R.S.S.),pela KGB na época,isso pouco importa afinal o mundo perdeu seu beatle mais rebelde,pacifista,genial,contestador político,anarquista,etc. Uma imagem conhecida em todo o planeta,uma imagem múltipla e mutante a consciência crítica da música e do Rock.(A sua importância com os Beatles não caberia neste blog),mas vou falar de um disco que foi lançado quando ainda era um beatle em 1970(40 anos do seu lançamento)”John Lennon/Plastic Ono Band”,onde já mostrava a des(construção) do seu personagem como integrante do maior Grupo e mais famoso de todos os tempos “The Beatles”...Recém-saído de sessões de terapia primal com o Dr. Arthur Janov,que pregava a libertação emocional através da exteriorização de sentimentos reprimidos desde a infância,resultado dessa terapia a música  “Mother”,belíssima canção que mostra a falta que sentia do pai(que o abandonou ainda bebê) e da mãe morta,(atropelada por um bêbado),quando ele era garoto.Raspou a cabeleira,(Uma atitude PUNK,antes da época...)tornando em um ato simbólico,acabando com todos aqueles capitalistas,que faturavam em cima da Banda,mesmo sendo um produto de massa,mas agora como um herói da classe operária,como relata em uma das canções e letra mais contestadora do disco,”Working Class Hero”,fala das traições e crimes que um homem é obrigado a cometer para subir na pirâmide social,sem ser panfletário,Lennon foi sub(v)ers)iv(o),num alto nível ideológico,pouco imaginável para o sistema,que levou uma nocaute de uma “simples canção” o disco ainda traz; ”Hold on”; “Isolation”;  “Remember”; “Love”; “God”; enfim são canções vinda de uma catarse pessoal, sem paralelos no rock,chocando o mundo naquela  instante onde a onda “paz e amor”,ainda triunfava...foi ai que John acabou com os mitos e surge sua célebre frase “the dreams is over...o sonho acabou...” a gravação do disco foi de uma forma mais crua e de reduzidos músicos de sua confiança, entre eles estão: Klaus Voorman(Baixo); O Beatle Ringo Star(Bateria) e Billy Preston(Teclados),depois vieram outros discos brilhantes: Imagine(71);Sometime in New York City(72); Mind Games (73); Walls and Bridges (74) entre outros...em 7 de julho desse ano Ringo Star completou 70 anos também, um dos mais influentes bateristas de todos os tempos e que Lennon só gostava de tocar com ele.  Vale a pena assistir os filme sobre Lennon, que conta o período de sua adolescência o filme se chama “Nowhere Boy” e o documentário “The U.S. vs. John Lennon” Imperdíveis...Happy birthday, John...We love you...(Flávio Magalhães).

“A Nossa política é a do humor.Todas as pessoas sérias foram assassinadas. Nós queremos ser os palhaços do Mundo” (John Lennon)

Comentários

 
Copyright ©2018 GArganTA MAGAlhães Todos os Direitos reservados | Designed by Robson Nascimento