Trabalho da ETE Arlindo Ferreira dos Santos desperta interesse em pesquisadores PDF Imprimir E-mail
Escrito por Administrator   
Seg, 08 de Novembro de 2010 11:00
Um trabalho desenvolvido na Escola Técnica Estadual Arlindo Ferreira dos Santos, em Sertânia, chamou a atenção de pesquisadores da UFPE e da UPE. Intitulado A Arte Rupestre no Moxotó Pernambucano e no Cariri Paraibano, o trabalho de pesquisa foi coordenado pelo professor de História, João Lúcio e envolveu alunos do 1º Ano do Ensino Médio da instituição. O Projeto foi desenvolvido entre março e novembro deste ano. “O objetivo foi aproximar os educandos da História, além de levá-los a descobrir a sua própria história, e se ver como protagonista da mesma”, disse João.

Ainda segundo o coordenador do projeto, a ideia surgiu durante o estudo do conteúdo Pré-História, quando alunos oriundos da zona rural se familiarizaram com as gravuras apresentadas nas aluas, afirmando que nas comunidades onde residem existem gravuras muito semelhantes. A partir daí, foram realizadas expedições para registrar esses sítios arqueológicos. As visitas aconteceram no sítio Caroá, em Sertânia (PE), e na localidade da Lagoa dos Patos, em São Sebastião do Umbizeiro (PB).

O resultado do trabalho registrado pelos alunos da ETE chamou a atenção de estudiosos e pesquisadores da Universidade Federal de Pernambuco – UFPE e da Universidade de Pernambuco – UPE.

Em outubro, a Escola Técnica recebeu uma equipe de arqueologia formada pela doutoranda em arqueologia, Marília Perazzo, o topógrafo Aurélio, que trabalha há 25 anos com a Drª Niéde Guidon no Museu do Homem Americano, e trabalhou na descoberta do carvão mais antigo das Américas com cerca de 40 000 anos, e o motorista Jorge.

Marília Perazzo visitou inúmeros sítios arqueológicos em Sertânia. A equipe faz parte de um projeto do Programa de Pós-graduação em Arqueologia da UFPE em parceria com o INAPAS (Instituto Nacional de Arqueologia, Paleontologia e ambiente do semi-árido) e FACEPE, sob a orientação da Profª Drª Anne-Marie Pessis, que tem por objetivo encontrar em Pernambuco sítios arqueológicos e criar condições de desenvolvimento econômico através da identificação e conservação desses locais.

Segundo Marília Perazzo, por conta do trabalho realizado, ETE Arlindo Ferreira dos Santos tdeverá torrnar-se referência em arqueologia para a UFPE, que manifestou interesse de futuras parcerias nessa área e em outros campos do conhecimento.
Outros estudiosos também manifestaram interesse em aprofundar os estudos nos sítios arqueológicos sertanienses. O professor da UPE, Josualdo de Menezes, estará em Sertânia visitando os locais registrados pelos alunos da ETE.
Segundo Josualdo, a iniciativa é muito importante, as imagens encontradas em Sertânia não são só da tradição agreste, pois o zoomorfo apresentado se inserena tradição nordeste. “É um excelente motivo para ampliar a investigação, pois não é comum a tradição nordeste aparecer em uma região onde a predominância é da tradição agreste para os grafismos geométricos”, disse Josualdo.

Sobre o trabalho de João Lúcio, o professor Josualdo disse o seguinte: “São pessoas assim como você que nos deixa a crença de que a educação ainda se salva. São pessoas com caráter e compromisso que nos deixam mais esperançosos em acreditar que o Brasil pode de fato mudar formando uma nova geração com mais consciência sobre seu passado”.
Confira outros registros das expedições

Comentários

 
Copyright ©2018 GArganTA MAGAlhães Todos os Direitos reservados | Designed by Robson Nascimento