AMIGO E AMIGA - FELIZ NATAL E UM INCERTO ANO NOVO ( LAILTON ARAÚJO )

( Lailton Araújo )



Hoje é 25 de dezembro de 2011. Hoje é natal!. No Ocidente cristão as crenças religiosas estão divididas entre católicos, protestantes e outras seitas. Que rotina maluca de se presentear nesta época!

O Sol parece aquecer mais do que nunca no Brasil, ex-colônia portuguesa, e que manteve a tradição cristã do Natal nos últimos séculos. É verão! A economia brasileira concorre com o citado Sol em termos de aquecimento. O calor solar deixa os brasileiros seminus nos balneários e ruas, mostrando que neste país, se tem sensualidade, alto astral e alguns corpos sarados. Já a economia brasileira é movida com o suor e paciência de seu povo. Tudo está super aquecido, ou melhor: com os preços mais caros que em Nova Iorque. Quem se aventurar nas imensas filas dos shoppings paulistanos e centros comerciais regionais para comprar um presente, evitará à quebra do hábito da doação na noite natalina, e ajudará no aumento dos índices governamentais tão necessários nesta época de crise, descaso político e ufanismo exagerado. O Natal é um termômetro do poder de compra do brasileiro.

Depois de um ano de trabalho e incertezas, o brasileiro ainda paga os maiores impostos do planeta, e estes mesmos impostos são mal administrados por um poder público ultrapassado e arrogante, e que se acha acima de Deus, ou travestido de deuses. Mas, não é hora de falar de política: alguns acham assim! É Natal e se deve viver este espírito, mesmo sabendo que em São Paulo (Sampa para os íntimos), a “Favela do Moinho” pegou fogo, sendo o autor do incêndio, talvez um provável espírito de porco, travestido de humano e que não acredita em espírito de Natal. Talvez seja essa a opinião da maioria das pessoas. Após a tragédia, a imprensa mostrou o prefeito e seus subordinados (em pré-campanha eleitoral) elogiando o trabalho do corpo de bombeiros. Uma emissora de televisão colocou ao vivo, a realidade nua e crua - sem ser erótica - do fogo consumindo as moradias de um povo sofrido. O Ibope deve ter ultrapassado as arrecadações dos dízimos dos fiéis. E o politicamente correto é endossado pelo espírito natalino da presidente Dilma Rousseff e alguns ministros, dirigentes de um “Estado Laico”. Vieram a São Paulo para um encontro natalino dos moradores de rua, e aproveitaram a viagem para uma visita aos sem tetos do incêndio da comentada favela. Será que os gastos com a tal viagem eram necessários?  Que chato! Não é hora de críticas políticas! É hora de solidariedade para com aqueles que ficaram sem tetos. Os impostos cobrados dos indefesos cidadãos - inclusive dos que moram em favelas - cobrem quaisquer despesas justificadas. É a política social do faz de conta, que até já transbordou no saco de Papai Noel! Onde serão colocadas as vítimas deste incêndio, na próxima noite de Natal?  

Será que as eleições municipais acontecerão em 2012? As profecias Maias (Civilização Maia) dizem que haverá mudanças profundas no planeta Terra. Tomara que essas esperadas mudanças comecem no poder judiciário do Brasil, que hoje é questionado em sua legitimidade moral, por atos não explicados à população. Acreditar na existência de Papai Noel é o mesmo que achar que os três poderes brasileiros são autônomos e éticos! Enquanto isso, a Coréia do Norte chora lágrimas de crocodilos pela passagem espiritual de seu imperador comunista. Se o comunismo é camarada, como pode existir um imperador neste sistema político? Dizem que tudo é possível para se combater o capitalismo. Talvez sejam estas as explicações dos tiranos, para a justificativa da opressão ao seu povo. A liberdade deve ser algo inegociável, mesmo que uma nação seja ingênua, ou mesmo, acredite em Papai Noel. O espírito de Natal parece caminhar para a unificação das duas coréias, na península de fogo, independente das visões políticas de novos e velhos líderes mundiais. No Brasil caminha-se com passo da desconfiança nos políticos e olhos abertos para os atos estranhos do poder judiciário. A democracia está em crise?

O espírito do Ano Novo aproxima-se geograficamente do Oriente? Tomara que o Sol Maia (Civilização Maia) não seja uma metáfora de uma nova tragédia atômica na “Terra do Sol Nascente” (Japão). A primavera árabe continua firme e forte no Oriente Médio e Norte da África! Parece jogo de xadrez ou brincadeira de dominó! Na Líbia já não existe um ditador. O que acontecerá nos próximos meses? Egito e Síria continuam em ebulição! Irã e Israel aquecem as flores da primavera, com ameaças de extermínio, justificadas pelo direito ao átomo e gene da intolerância. Em contrapartida (separada pelo Mar Mediterrâneo) a Europa, agoniza com suas várias economias. Heroicamente ainda pode resistir à desvalorização da moeda “Euro”. De onde virão receitas e novas fórmulas para a manutenção dos benefícios sociais europeus? As antigas colônias asiáticas, africanas e latino-americanas, já não dependem do velho continente. A China é a bola da vez, neste jogo do comércio mundial - nova ordem - que começa na Ásia e termina nas Américas. Até quando os EUA observarão que o dólar e suas fortalezas militares pelos mares, já não medram ou impõe medo? Os EUA estão em decadência econômica. A China já é o segundo país em termos de PIB (Produto Interno Bruto), derrubando velhas teorias capitalistas, e deixando economistas carecas e caretas. Para onde caminha o ano 2012? Talvez para a Índia, país espiritualmente elevado e materialmente empobrecido, e que desponta para uma nova era. E as desavenças políticas com o vizinho Paquistão? Será que o Sol Maia (Civilização Maia) nascerá quadrado da janela de um trem indiano ou paquistanês? Só uma solução pacífica na disputa da Caxemira poderá trazer a resposta.  

E o governo do Brasil - alheio ao rebuliço econômico e político de outras nações - mantém as velhas manias do “pão e circo”, com dois grandes eventos esportivos: “Copa do Mundo 2014” e “Rio 2016”. Marte (deus romano - da guerra) e Zeus (deus grego - dos jogos olímpicos) pedem certa prudência. A Grécia está falida; a Itália caminha para alguns anos de recessão; e muitos países da Europa pedem socorro financeiro. Aqui neste país abençoado por Deus e que ainda acredita em Papai Noel e espírito de Natal, o dinheiro do contribuinte (suado no trabalho e sugado na fonte) está sobrando para obras faraônicas. Enquanto se constrói novos estádios de futebol e se modernizam outros, o povo sofre com velhos problemas sociais causados por falta de infra-estrutura urbana e rural, e corrupção. Acredita-se que diversos moradores da “Favela do Moinho” (que pegou fogo em 22/12/2011) passarão o Natal na rua ou em algum alojamento público, e ficarão esperando um político municipal, estadual ou federal disfarçado de Papai Noel, que sabe pedir voto na hora de ser solidário. Algumas sugestões para a solução temporária do impasse social: 1) A presidente Dilma Rousseff poderia hospedar esses novos sem tetos em hotéis paulistanos de cinco estrelas, e mandar a conta das despesas, para o Ministério das Cidades; 2) O prefeito Gilberto Kassab (de São Paulo) - responsável pelo planejamento urbano - incluíria no pacote de hospedagem da presidente Dilma Rousseff (para os novos sem tetos da Favela do Moinho), uma festa de Réveillon e com direito a nova hospedagem, em alguma pousada de luxo do litoral paulista; 3) Quem pagará a conta? Talvez aquele poço sem fundo - não explicado - que pagou as hospedagens de alguns magistrados do poder judiciário.

Papai Noel existe! Sonhar não custa nada! Feliz Natal e um incerto Ano Novo!

.....................................................................................................................................................................................................................................................

Abraços.

Lailton Araújo

1 comentário

Lailton Araújo em 31 de dezembro de 2011 08:15

Meu amigo Flávio...

Belo blog! É cultura viva e informação para aqueles que ainda resistem ao hábito de ler. Política é antes de tudo um ato de teimosia... Pau que nasce torto pode se curvar? Depende das leis da física... E da mão humana! Parabéns pelo conjunto das informações! Feliz Ano Novo! Abraços do velho irmão! Lailton Araújo

 
Copyright ©2018 GArganTA MAGAlhães Todos os Direitos reservados | Designed by Robson Nascimento