Tangerinos faz o diferencial no carnaval de Sertânia

Em Sertânia o carnaval tem um diferencial em relação a outras cidades:é o folguedo dos Tangerinos, brincadeira popular que toma as ruas da cidade na terça-feira de carnaval.Os tangerinos são mascarados, portando chapéus de palha e uma longa roupa estampada. Cipós e chocalhos também fazem parte do conjunto desses brincantes, que saem na folia tangendo o boi enganoso.
Logo cedo os tangerinos saem de casa e começam a brincar nas ruas. A festança atinge o ponto culminante com o desfile da troça "os tangerinos e o boi enganoso", que sai da vila da COHAB, na periferia da cidade e ganha as ruas em direção ao centro.No trajeto,Os tangerinos também pedem dinheiro, para custear o carnaval. A folia é acompanhada pela banda de pífanos da mata, tocando frevos e marchinhas carnavalescas.um som mecânico reproduz a trilha sonora do ritual dos tangerinos: uma toada , um repente, que servem de fundo musical para o folguedo, que tem a pega do boi enganoso sendo encenada pelos tangerinos.Um frevo encerra a apresentação e tudo acaba em festa.


Tangerinos são humildes tangedores de gado alheio, que a pé conduziam boiadas pelas cidades do sertão nordestino. a origem do folguedo sertaniese está diretamente ligada á tradição folclórica do lugar, onde haviam bastantes tangerinos."o próprio fundador de Sertânia, Antão Alves era um Tangerino", afirma Josessandro Andrade, um dos fundadores da troça.O s tangerinos também estão ligados as diversas histórias de bois da região, contadas de forma oral, como o boi japonês ou registradas também em livro como o boi de ouro, de Ulysses Lins de Albuquerque, no livro homônimo e o boi enganoso, de Marcos Cordeiro, no Romançal Paranambuco.


Os tangerinos já são uma marca registrada do carnaval de Sertânia, que enche de colorida alegria as ruas da cidade. "Ano passado, as pessoas de outras cidades que passavam nos seus veículos vibravam , tiravam fotos e nos parabenizavam pelo nosso brinquedo carnavalesco. queriam ver nosso chocalho, nosso chapéus.Enfim , foi muito, testemunha Wilton Augusto, carnavalesco que coordena a troça.

Realese

Carnaval dos Tangerinos
“OS TANGERINOS E O BOI
ENGANOSO”
                                              Troça carnavalesca  e folguedo
                                        UMA HISTÓRIA, UMA RAIZ,UMA POESIA


A histórias de bois influenciaram a literatura de Sertânia. No livro “ O Boi de Ouro e Outras Histórias”, o escritor e poeta Ulisses Lins de Albuquerque relata um pouco de sua história. Já o Poeta, Artista Plástico e Dramaturgo Marcos Cordeiro em seu premiado Romançal Paranambuco, dedica todo um capítulo para narrar o “Romance do Boi Enganoso”.Há ainda toda uma tradição oral.
Baseado nas figuras quases lendárias do Boi Japonês, o boi de ouro e o boi enganoso e as míticas que envolvem as sua pegas, é que surge este folguedo. São histórias reais, acontecidas em Sertânia, que serviram de pesquisa e inspiração para que se criasse o enredo para o ritual dos tangerinos, aqueles que tangem o boi,que é um boi enganoso, fruto de uma colagem popular dessas histórias, que imaginava-se que era apenas uma, mas com o estudo descobriu-se tratar-se de várias.Mas aí na cabeça do povo e na mente dos artistas populares o folguedo já estava sedimentado: os tangerinos que correm tangendo o boi, que representa os vários bois anteriormente citados.
No enredo do ritual folclórico, o boi enganoso foi enjeitado pela mãe, ainda pequeno, tendo sofrido muito. Criado na caatinga Pela mãe natureza virou um animal bonito e forte. Muito querido na Região que habitava, em Sertânia.A Mitologia criada em torno de sua imagem é de que era um boi que ninguém pegava, atraindo a atenção dos vaqueiros da região com espírito aventureiro,ao ponto de se organizarem levas destes no rastro do Boi Enganoso. Há quem diga que o mesmo “alumiava”. Outros testemunham tê-lo visto voando.
Os Tangerinos não são os Vaqueiros que em suas indumentárias de couro em montaria que perseguiam o Boi . São humildes e pobres tangedores de animal alheio pelas estradas desse sertão de Deus, cantando suas toadas e aboios e que certamente também tangeram um dia um Boi Enganoso.
Os Tangerinos tangem as mágoas e tristezas e com seus aboios e chocalhos buscam a alegria de um carnaval que, como um Boi Enganoso, nos engana nos 04 dias da Festa de Momo.
Na imaginação dos Carnavalescos, os Tangerinos vão em busca do boi Enganoso, o boi da alegria carnavalesca da gente!
Este é um projeto baseado numa pesquisa a um tema dos mais originais dentro do Contexto-folclórico de nossa terra: As História de Bois , que misturam realidade e lenda.
“Os Tangerinos e o Boi Enganoso”, se constituiu em uma Troça Carnavalesca e proporcionou uma identidade Cultural de Raízes genuínas aos festejos de Momo em Sertânia.Fundado por Wilton Augusto e Josessandro Andrade,é uma marca registrada do carnaval sertaniense, que traz criatividade , originalidade e raiz cultural.

Hoje algumas cidades já possuem algo que identifique o seu Carnaval: Bezerros tem Os Papangus, Triunfo tem Os Caretas, Pesqueira tem Os Caiporas. Sertânia  tem “Os Tangerinos” como referência do seu carnaval.
Acompanhados por uma banda de pífanos, Bandinha da Mata,dos Saudosos mestres Zuza Galdino e Zé Florêncio, hoje chefiada por Reginaldo, A trilha sonora de sua apresentação tem frevo, Repente e toada originais, que fazem parte de um ritual que foi desenvolvido para futuras apresentações. O desfile é na segunda-feira de carnaval, concentrando –se na vila da COHAB, para sair de manhã pelas principais ruas da cidade.

Comentários

 
Copyright ©2018 GArganTA MAGAlhães Todos os Direitos reservados | Designed by Robson Nascimento