CHICO CITY ANISYO

Não, chico.
Diz que é não é verdade.

Não faz isto.

Que palhaçada é esta?
Volta, Chico.

Precisamos de você
em nossa casa.

Não, chico.
Diz que é não é verdade.

Não faz isto.

Que palhaçada é esta?
Volta, Chico.

Precisamos de você
em nossa casa.

Não nos mate.

Não nos deixe com esses caras
do stand-up comedy.

Argh!

Vazios e frios.
Tão sem graça.

Precisamos de sua humanidade.

Ficar apenas com essa piada forçada,
com essa realidade burra, amigo,
será de doer.

Cadê você, mestre,
para nos elevar, para nos salvar,
para nos socorrer?

Sabe?
 
Não aguentaremos por muito tempo
a vida sem você.

Esse humor-horror
em que tudo se tornou.
Essa ofença pública.

O que fazer?

Puta que pariu, Chico.
Pô!

Ressuscita agora, vai.
Traz-nos de volta a paz,
a arte, o riso.

Repito:
vai ser difícil ficar por aqui
tendo de ouvir esses caras
do stand-up.

Meu Cristo!
Estamos sozinhos.

Chico, por favor.

Ficamos todos órfãos,
pobres demais.

Tristes,
sem seu humor-amor.

(Marcelino Freire,poeta Sertaniense)

Comentários

 
Copyright ©2018 GArganTA MAGAlhães Todos os Direitos reservados | Designed by Robson Nascimento