DEZEMBRO em CarnavaliZações - Por Jomard Muniz de Britto (ainda JMB)

Mesmo sem poder escapar de
celebrações, este MÊS nos
compromete com todos, todas.
Tão familiares e
sempre consumistas. Familionários
integrados ao PODER.
Tudo podendo ser presenteado.
Nada a ser renegado por M E D O.
Todas as estações do ano no MÊS?
Por isso deZembro é tão desejante.
Convergências e par/ti/da/ris/mos.
Quase ninguém pensando ABISMOS
do Ser e Nada,
do Regional ao Universo.
E poucos ou raros chegam a tremer
 com TEMERidades que desgovernam.
Nosso país nunca foi paradisíaco.
Desamparo entre a condição indígena
e a miséria dos desempregados
citadinos. Apesar do Sol e dos luares
de beleza.
PROPINA: que palavra mais cruel!
Sem direito às ex-clamações?
Ainda podemos relembrar o abuso
superlativo do PODER?
Centrais e periféricos.
 PROPINAS em vasto repertório.
A felicidade consumista nos conduz ao
BLOCO DO NADA: carnavalizações.
 Sem religiões salvacionistas.
Sem retóricas TRANSeducativas.
Esquecemos P. Freire e D. Ribeiro.
Gente pra brilhar. Não para cemitérios.
Do PAI PAI ao DEVASSOS NO PARAÍSO.
 Continuemos leitores de JSTREVISAN.
Até mesmo de outros brincantes,
escritores em transe, trânsito
e foliões traumas.

Recife, dezembro de 2017

Comentários

 
Copyright ©2018 GArganTA MAGAlhães Todos os Direitos reservados | Designed by Robson Nascimento